josedasilva @ 11:14

Qua, 11/04/07

Como o Cláudio refere a falta de tempo é o maior dos problemas para os projectos pessoais, e não só. Como para tudo, existe uma solução.

A solução para a desculpa da falta de tempo é simplesmente começar o projecto, porque, depois de iniciado o projecto o tempo vai aparecer.

O que eu fiz para combater a falta de tempo, em projectos pessoais:

  1. Aproveitei os transportes públicos para desenhar os esboços do sistema

  2. Ainda nos transportes públicos, e no papel, desenhei o diagrama de relacionamento de entidades

  3. E ainda nos transportes públicos, construí o esboço do que desejava para estrutura do projecto

  4. Aqui, tive uma pausa, pela tal desculpa da falta de tempo, que me atrasou mais uma semana o projecto

  5. Até que decidi na travessia de barco que liga Lisboa ao Montijo, começar a aproveitar a hora que tenho de fazer todos os dias para ligar as duas margens do Rio Tejo, para ligar o portátil e fazer algo mais do que ler revistas

  6. Comecei por passar a base de dados para o servidor de mysql

  7. De seguida desenhei os templates "em bruto", aos quais serão aplicados os estilos mais tarde

  8. Neste momento estou a desenvolver as classes que me apoiarão em todo o sistema


Passei de uma fase de projecto no papel para meio projecto, e isto tudo graças ao aproveitamento do tempo que passo nos transportes públicos.

Devem estar a questionar-se, então e que projecto é? Prometo que assim que estiver numa fase de testes divulgarei o endereço, o objectivo e enviarei alguns convites.

Abaixo a desculpa da falta de tempo!



josedasilva @ 12:32

Ter, 05/09/06

BrandComo em muitos aspectos da nossa sociedade, em portugal é mais dificil, porquê?Por diversos aspectos inerentes ao nosso modo de viver e de estar no mundo dos negócios e na vida em comum com o próximo, um modo de estar simplesmente distante e indiferente!

É assim que se torna extremamente dificil estar no mundo dos pequenos negócios em Portugal! Não é tudo culpa do "quem somos", mas do "como fazemos".

5 Razões para ser muito dificil deixar de ser pequeno !

1. Falta de visibilidade empresarial

Sendo os pequenos negócios, muitas vezes geridos com pessoas de conhecimentos profundos na área onde actuam, não dispõem de visibilidade empresarial nem de conhecimentos de gestão para ajudar a levantar o negócio um ponto mais acima. É neste capítulo que a formação ajuda em sobre-maneira, armar-se com novas armas ajudam a combater a concorrência.

2. Ver a formação como um gasto

Olha-se a formação como um custo e não como um investimento com imenso retornou, e ficando paralizado no tempo não vai ajudar em nada a empresa a atingir caminhos mais além. É possível, mesmo em Portugal começar pequenino e deixar de o ser, e a formação em áreas como a gestão têm um peso importante nesta fórmula.

3. Olhar para o próprio umbigo

Uma grande maioria dos empresários portugueses não estão disponíveis para parcerias estratégicas, sim o tema não se aplica apenas aos grandes gigantes do nosso mercado. Parcerias entre pequenas empresas ajudam todos os elementos da parceria, crescendo todos na pirâmide.

4. Investimento em publicidade, um gasto desnecessário

O investimento em publicidade e em divulgação da marca não deve nem pode ser visto como um gasto, mas sim como um investimento que irá fortalecer a marca e nome no mercado, os resultados podem não ser visíveis de imediato, mas os efeitos residuais ficarão no mercado, dependeo do tipo de publicidade o efeito pode demorar mais ou menos tempo a ser visível, no que respeita a resultados práticos. Neste capítulo as parcerias com empresas de ramos diferentes pode ajudar, sendo que com a parceria certa, pode transformar 10 unidades de publicidade em 20 unidades, ou mais, dependendo do número de parceiros, desde que acordem efectuar publicidade conjunta. refiro-me ao ponto anterior (3).

5. Os empregados são um peso no orçamento da empresa

Esta visão está totalmente errada, os funcionários e as pessoas são o valor mais importante da sua empresa, olhar para eles como um peso ou gasto, resulta em incapacidade de liderança e motivação da sua equipa. Ao motivar a sua equipa está a aumentar a satisfação no trabalho, resultando num aumento de produtividade e caso seja o caso, num melhor atendimento do cliente e posterior aumento da satisfação deste, ou seja:

> Motivação da Equipa > Produtividade > Satisfação no emprego > Eficácia na iteracção com o cliente > Satisfaçaõ do cliente > Volume de transacções

Se estes pontos forem trabalhados, com certeza o valor do seu pequeno negócio irá subir, e tudo será mais fácil no mundo empresarial que o envolve.



josedasilva @ 16:41

Qui, 10/08/06

Somos colocados frente a problemas de soluçãon complexa no dia-a-dia, e é quase tão complexo o problema como encontrar uma solução para este.

Para tratar todo o tipo de situações, existe a técnica dos "5 Porquês", ie "5 why's".

Os "5 Porquês" consistem em colocar várias perguntas ao problema apresentado, e a cada uma das respostas destas 5 perguntas, colocar mais perguntas, no final de um conjunto de níveis de aplicação da regra, deverá encontrar a resposta de um modo directo.

Pode parecer complicado, e é também complicado entender este problema sem um exemplo prático, ora vejamos, de um modo engraçado:

Problema:  

Dirijo-me para o emprego e o carro parou no caminho.

Pergunta 1: Porque parou o carro?

Resposta 1: Porque ficou sem combustível.

Pergunta 2: Porque ficou o carro sem combustível ?

Resposta 2: Porque devia ter abastecido hoje de manha e não o fiz.

Pergunta 3: Porque não absteci o carro hoje de manhã?

Resposta 3: Porque não tinha dinheiro  para combustível.

Pergunta 4: Porque não tinhas dinheiro ?

Resposta 4: Porque perdi todo o que tinha a jogar poker.

Pergunta 5: Porque perdeste o dinheiro todo ao jogo?

Resposta 5: Porque quando não tenho um bom jogo, sou péssimo a fazer bluff.

Concluímos que o carro parou porque sou péssimo a jogar ás cartas. 

Este tipo de estratégia, funciona no mundo empresarial e dá-nos uma enorme ajuda na rápida detcção e resolução de problemas.

Mais detalhes sobre este método na wikipédia, em 5 whys.



josedasilva @ 10:49

Seg, 24/07/06

Em algumas áreas é prática comum um individuo ter mais do que um meio de subsistência, tendo para isso que manter mais do que uma actividade ou emprego em simultãneo.

Isto deve-se não só ás dificuldades que o país e todos nós enfrentamos no que diz respeito a emprego, como à procura imensa em determinadas áreas de especialização.

Este tipo de situações, à qual vou chamar de DUO, necessita de uma enorme capacidade de organização e também um grande espirito de sacrifício, no entanto existem pontos que levam estes individuos a efectuar com sucesso ou não as tarefas, enquanto que no emprego primário, chamemos-lhe assim, as tarefas são efectuadas em conformidade, em grande parte devido a "normalmente" este ser durante o dia e em local próprio, o problema são as tarefas pós-laborais, qua muitas vezes chocam com entraves como são o cansaço acumulado durante o dia, o stress das diversas situações, e a necessidade de estar com a familia e amigos.

Existem algumas técnicas / segredos que adoptei para minimizar este choque, fisico, psicológico e afectivo que todos os individuos necessitam:

  • Defino com regularidade férias das actividades extra-profissionais, tirando por vezes entre 1 a duas semanas, em que não penso em actividade alguma a não ser a actividade primária, emprego, e descontracção na altura emq ue regresso a casa.

  • A organização e metodologia ajudam de sobre-maneira a diminuir a perda de tempo e a aumentar a minha disponibilidade para mim e para os que gosto, consigo isto definindo horários rígidos de trabalho, normalmente entre as 21 e as 23, por vezes vejo necessidade de alterar este horário, no entanto nunca passando as 2 horas diárias nos dias úteis.

  • Domingo sagrado, "tento" garantir que ao Domingo é tempo para "mim" e para a familia, é necessário encher a bolha de oxigénio de modo a conseguir aguentar mais uma semana.

  • Evitar sobre-carregamento de projectos, é extremamente importante evitar aceitar mais projectos do que 2 horas por dia conseguem suportar, sim porque depois de muitas contas, é o tempo que sobra para este tipo de trabalho, 2 horas por dia é o número de horas que disponho extra-emprego.


Muitas vezes é complicado conseguir atingir todos os pontos e uma falha num deles pode arruinar-me a semana ou mês, ficando com horários perdidos e horas sem fim à frente do computador, o descanso é um ponto muito importante, e normalmente todos os meses necessito de re-organizar os meus horários.

O grande problema deste tipo de actividade, são as alterações, sempre que um projecto necessita de alterações, pós-entrega, vai ocupar tempo que havia sido destinado a outro novo projecto, danificando assim a folha de atribuição de horas por projecto, este problema ainda não o consegui resolver.



josedasilva @ 09:41

Ter, 11/07/06

PublicidadeNo dia a dia lê-se e ouve-se nos vários meios de comunicação que é necessário aumentar a produtividade das empresa, isto consegue-se aumentando a produtividade de cada indivíduo integrante dessa estrutura.

Na minha área, o desenvolvimento de software para a internet, existe uma enorme tentação e facilidade de distracção, uma vez que dispomos de uma ferramenta com enorme potencial, e também uma enorme fonte de distracção dos objectivos.



As distracções de vários quadrantes resultam em quebras de produtividade, diminuição da eficiência da tarefa que está a ser efectuada e aumento do tempo de conclusão da mesma.

Tomei algumas técnicas de modo a evitar estas constantes distracções.

Ponto 1: Disciplina no que toca a leitura de emails, defini 2 horários para efectuar a leitura dos emails, 1x quando chego ao local de trabalho, cerca das 8h30 e outra quando estou prestes a terminar a sessão, 18h30, evito assim distrações com leitura de emails, porque por muito pouco textos ou emails que se tenham para ler é sempre superior a 10 minutos e quebram a dinâmica de trabalho.

Ponto 2: Atendimento do telefone, o idela será ter um horário para atendimento de chamadas telefónicas durante o dia de trabalho, por experiência própria isto é muito dificil e o melhor é ou desligar o aparelho, ou caso seja importante atender o teelfone, deve-se manter a duração de cada chamada inferior aos 30/20 segundos, com iteracções curtas e concisas.

Ponto 3: Uma das minhas tarefas diárias é leitura de um conjunto de blogs que acho interessantes, trato esta tarefa 1x por dia, normalmente quando chego ao escritório.

Ponto 4: Escrita no meu blog, tento efectuar a escrita de novos conteúdos para o meu blog em casa, fora do horário de trabalho, porque esta tarefa demora normalmente entre 20 a 30 minutos por post e não me posso dar ao luxo de perder essa quantidade de tempo no horário de expediente.

Ponto 5: Todas as 6ªs feiras é dia de balanço e planeamento da semana seguinte, ao planear as tarefas a fazer em cada semana, consigo definir objectivos diários a atingir e medir assim a eficácia destas regras, o planeamento semanal de tarefas melhorou considerávelmente a minha taxa de eficiência e produtividade, normalmente efectuou esta tarefa no final do dia, entre as 18h30 e as 19h.

Ponto 6: Cumprir á risca um horário de trabalho saudável, efectuando um número de horas aceitável. Ps. Este ponto não o consigo implementar, ando num caminho intermitente, ora faço uma semana de 40 horas, ora a seguinte tem 55/60 horas.

Como a questão da produtividade, varia de acordo com o projecto, efectuei algumas alterações á metodologia que expliquei em Dezembro de 2005, no post Organização do tempo útil e produtividade, uma grande alteração foi que na altura estava a trabalhar como freelancer, situação que se modificou em Janeiro de 2006, como tal revi a minha metodologia.



josedasilva @ 18:41

Seg, 03/07/06

Um aspecto super importante que aprendi, nos últimos anos, foi que as reuniões raramente se demonstram úteis, 99% das ocasiões um telefonema ou troca de emails revela-se de maior utilidade do que uma reunião e com certeza muito menos dispendiosos.
A maioria dos casos uma reunião tem um custo temporal enorme, que contabilizado no final, apenas 10/20% do tempo foi realmente produtivo, quer por má preparação da reunião quer pela falta de elementos concretos para discussão.

Defendo claramente que a execução de qualquer tipo de reunião apenas em casos extremos, de utilidade comprovada e raramente com duração superior a 30 minutos.

Vejamos o custo de uma reunião de 1 hora.

Imagine-se uma reunião com 3 elementos intervenientes com uma duração de uma hora, assuma-se um valor por hora de 75 Euros por cada um dos intervenientes.

3 * 75 Euro = 225 euros

O custo da reunião será cerca de 225 euros, se a esse valor adicionarmos despesas de deslocação para elementos intervenientes externos, vemos facilmente que talvez a reunião pudesse ser substituida por outro meio de comunicação, email, telefone ou mesmo fax.

Existem realmente casos em que uma reunião é inevitável, mas são raros os casos em que a reunião se torna num elemento produtivo do projecto, nos casos em que a reunião é inevitável deve ser efectuada no inicio do dia de trabalho ou no final, porque se vamos corrtar a meio o dia de trabalho, dividimos um dia de trabalho completo em dois ou mais pedaços de trabalho altamente improdutivos.

É a minha opinião e filosofia, alguém tem uma diferente?



josedasilva @ 10:45

Qui, 15/12/05

Um dia de 24 horas parece-me muitas vezes curto, quase que apetece um dia de 48 horas de vez em quando, dada a urgência de acabar os projectos e cumprir prazos. Deliniei algumas estratégias de modo a eliminar o tempo morto, ou tempo desnecessário que perdia em alguns pontos do dia.

Ponto 1
Deliniei dois momentos do dia para abrir os emails e responder aos que são necessários, porque mesmo que sejam apenas 2 linhas um email demora sempre algum tempo a responder, assim, abro o email ás 9h30, quando ligo o computador e ás 17h00.

Ponto 2
Uso o Calendar do Mozilla para planear o meu próximo dia, seguindo este planeamento á risca, evitando desviar-me ao máximo dele. São cerca de 5/10 minutos em cada dia que passo a delinear o próximo dia, este ponto aumentou em muito a minha produtividade.

Ponto 3
A motivação é um ponto muito importante no dia a dia para conseguir atingir os objectivos e até conseguir superá-los, defino para cada dia uma recompensa. Assim quando consigo finalizar todas as tarefas ofereço uma recompensa a mim mesmo. Esta recompensa pode passar desde, um jantar fora de casa, entrar mais tarde no dia seguinte, um banho de imersão, comprar um livro, pequenas coisas que me ajudam a relaxar após um dia bem sucedido de trabalho.

Ponto 4
A organização é um ponto muito importante em ordem a manter e aumentar a produtividade, como tal, na parte final do dia, como falei em cima, onde planeio o dia seguinte, tenho o cuidado de colocar todo o tipo de material de apoio que penso vir a necessitar para o dia, perto da minha estação de trabalho.

São alguns dos pontos de tomei em conta e aumentei sem dúvida a minha produtividade, no mesmo tempo útil.


Blog pessoal de José Silva. Sou programador informático, nos últimos anos dedicado quase exclusivamente ao PHP.
Fevereiro 2011
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5

6
7
8
9
10
11
12

13
14
15
16
17
18
19

20
21
22
23
24
25
26

27
28


Pesquisar
 
blogs SAPO